Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ad

Na Cozinha com... Cláudia Vasconcelos

na cozinha com.jpg

 

Nos últimos dias estivemos à conversa Na Cozinha com  uma convidada especial que, apesar de viver em Lisboa, tens raízes no minho. Chama-se Cláudia Vasconcelos, é um doce de pessoa e autora do blog Dona Biscoito, um verdadeiro doce de pessoa :)

 

Faz & Come. Quem é a Cláudia Vasconcelos?

 

 

12966024_10201976926221739_1215025769_n.jpg

 

C.V. A Cláudia é uma minhota, de Viana do Castelo, que veio para Lisboa tirar um curso de Design e Arquitectura de Interiores, no IADE, e por cá ficou. 

Preenche-me tudo o que implique Decoração de Interiores e por arrasto a fotografia. Adoro andar a mudar os móveis de sítio e renovar as cores da decoração de cada compartimento da casa.

A cozinha também mora no coração e folhear livros de receitas faz parar o tempo...

Ao Minho agora só de férias, mas penso todos os dias em voltar!

 

Faz & Come. Porquê Dona Biscoito?

C.V. Uma amiga falou-me em ter um blog, ela já tinha o dela, mas eu desconhecia totalmente o conceito. Um dia na busca de uma receita deparei-me com um blog extraordinário e achei que poderia fazer um também. Mas era tudo muito verde e nem imaginava a dimensão que um blog poderia ter. Não tinha a noção que seria um local na internet onde se teria seguidores e só quando essa minha amiga me explicou e ajudou nos primeiros passos é que fui percebendo.

No início queria Dona Bolacha, mas o Blogspot não o permitiu e acabou por ficar Dona Biscoito. Começou por ser apenas para mostrar alguns doces que fazia. Na altura não cuidava da fotografia, não se atrevam a ir ver atrás, (risos). Misturava trabalhos manuais com bolachas, e nem sequer punha as receitas.

A ver outros blogs é que fui percebendo o que deveria fazer. O blog foi crescendo, mudou de imagem e hoje é um sítio com receitas e fotografias, onde tento todos os dias melhorar. 

 

Faz & Come. Quem te segue fica maravilhado, não só com as deliciosas receitas, mas também com as fantásticas fotos com que nos brindas. É algo de que sempre gostaste?

C.V. Comecei a cozinhar quando frequentei o 12º. Nesse tempo só tínhamos 3 disciplinas e as aulas eram de tarde. Os meus pais eram professores e nenhum dos meus irmãos queria almoçar no refeitório da escola. Juntávamo-nos todos na hora do almoço em casa.

As centenas de Tele Culinárias do Chef Silva que o meu pai coleccionava começaram a cativar-me e todos os dias experimentava uma receita para o almoço da família. Lembro-me que a primeira foram ervilhas com ovos escalfados. Na época não sonhava sequer em fotografar pratos de culinária. 

No entanto, as máquinas fotográficas sempre fizeram parte da minha vida. O meu pai revelava fotografias em casa e eu estava sempre com ele a ver como se fazia. Brindou-me com a primeira câmara aos 12 anos. Amo fotografar e já perdi a conta às fotografias que tenho. Andava e ando sempre de máquina atrás.

Já passei por todo o tipo de câmaras. Até tive uma Zenith, pesada e robusta :-)

 

Faz & Come. As receitas que podemos ver no Dona Biscoito são, na maioria, de doces. Gostas mais de doces do que de salgados?

C.V. É verdade, prefiro mais doces que salgados. Resultam melhor em fotografia, e no fundo tenho mais queda para eles. Sou gulosa por natureza e nunca recuso um quadradinho de chocolate, mas o melhor mesmo é um par de quadradinhos ;-)

O livro de receitas da minha mãe está todo testado e os bolinhos de areia são o meu segredo.

 

Faz & Come. O que nunca pode faltar no teu armário/frigorífico?

C.V. No meu armário nunca pode faltar farinha Branca de Neve e aveia e no frigorífico manteiga sem sal e iogurte grego. Também nunca falta Kefir.

 

Faz & Come. Para terminar, qual o teu prato ou comida preferida?

C.V. Gosto de comidas variadas, mas posso dizer que adoro Tucussado, um peixe de cozinha moçambicana ou uma salada fresca de carnes brancas.

 

Faz & Come. Muito obrigado, Cláudia, por aceitares partilhar as raízes do teu cantinho connosco ;)

O bolo de chocolate da Rosa e os mirabéis

bolo de chocolate e especiarias2.jpg

Na semana passada chegou até mim o lindo, prático e fabuloso Caderno de Receitas com Chocolate da querida Rosa Cardoso, do blogue Be Nice Make a Cake

Confesso, a receita que hoje vos apresento seduziu-me desde o primeiro momento! Sim, é impossível não imaginar o bolo de chocolate e especiarias da Rosa. Estava só à espera do melhor momento para experimentar a receita. Olhando para a prateleira das conservas, dei de caras com um frasco de mirabéis em conserva, que esperava aquele momento para ser aberto e decidi: é hoje! Lembrei-me que tinha também uma pasta de chocolate elaborado com os mesmos frutos, mas secos e azeite... Pois, é isso mesmo, BOMBA! Mas, é só hoje ;)

Para quem desconhece este fruto, produzido aqui ao lado na Galiza, neste   POST falo-vos um pouco do fruto e da organização que os comercializa.

 

Ingredientes para o bolo:

150 gramas de farinha sem fermento

50 gramas de cacau

200 grama sde açúcar

1/2 colher de chá de fermento em pó

1 colher de chá de bicarbonato de soda

25 ml de café bem forte

1 colher de chá de canela em pó

1/2 colher de café de noz moscada moída

1 colher de café de aniz moído

1 colher de café de gengibre em pó

80 gramas de manteiga amolecida

3 ovos grandes

120 gramas de iogurte magro natural

 

Ingredientes para a cobertura:

100 gramas de chocolate negro

75 ml de natas gorddas para bater

Mirabéis em conserva para acompanhar

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno nos 180º.

Para um recipiente, peneire a farinha juntamente com  o fermento, o bicarbonato e as especiarias.

À parte, bata a manteiga com o açúcar até obter um creme. Adicione os ovos, um de cada vez, sem parar de bater e até obter um creme volumoso.

Adicione a massa de ovos aos ingredientes secos e misture com uma colher de pau. Adicione o café e o iogurte e envolva bem, mas sem bater.

Verta a massa numa forma com 18 cm de diâmetro previamente untada com manteiga e polvilhada com farinha e leve ao forno durante cerca de 40 minutos. Faça o teste do palito.

Deixe arrefecer durante 10 minutos dentro da forma,  em cima de uma grelha.

Desenforme o bolo e deixe arrefecer completamente.

Corte o topo com a ajuda de uma faca de serra, para ficar reto.

Num recipiente apto para microondas, coloque o chocolate previamente cortado em pedaços pequenos e as natas e aqueça, mexendo de vez em quando, até obter um creme liso e brilhante.

 

Cubra o bolo com o chocolate e decore com alguns mirabéis.

bolo de chocolate e especiarias3.jpg

 

bolo de chocolate e especiarias5.jpg

bolo de chocolate e especiarias6.jpg

bolo de chocolate e especiarias7.jpg

bolo de chocolate e especiarias10.jpg

bolo de chocolate e especiarias20.jpg

 

Macarons ou Macabons?

mac final2.jpg

 Hoje não há receita, mas sim a partilha de uma excelente experiência que vivi ao longo das últimas 4 semanas. Muitos de vocês deverão ter percebido, através das minhas publicações nas redes sociais, nomeadamente no Facebook e no Instagram que estou a fazer um curso online sobre macarons. Ou melhor, estive! Sim, com muita pena minha e saudades que prometem ficar, o curso acaba hoje..

Mas deixem que vos conte, nunca pensei que, mesmo não sendo presencial, se pudesse aprender tanto e tão bem! 

O curso está muitíssimo bem estruturado e provido de excelentes  recursos que passa por pdf's  com texto e imagens sobre todos os conteúdos, a vídeos "reais"-digo reais porque são feitos com a professora, a fantástica, excelente, divertida e profissional Isabel do blogue Aliter Dulcia, de Gijón na vizinha Espanha.

Os temas do curso estão divididos por semanas, sendo que na primeira semana são abordadas a história e origem dos macarons, passando pelos clássicos que deram origem aos macarons que conhecemos hoje em dia. Na segunda semana começou, se posso dizer assim, o desafio a sério, pois começámos a preparar os verdadeiros macarons parisienses, elaborados com merengue italiano, elemento que lhe aporta aquela cor branca imaculada. Não, não é de todo fácil! Não é fácil pela complexidade da receita, mas sim porque 90% do sucesso do produto final se deve ao nosso conhecimento sobre o nosso forno e o tempo de secagem das "coquilles"-nome que se dá às duas  conchas ou tampinhas que compõem o macaron. Os outros 10%, diria  que dependem da exatidão com que são pesados os ingredientes. 

A "macaronage", termo aplicado à técnica de envolver o merengue com o TPT (tant pour tant, que é nada mais nada menos, que a mesma quantidade de farinha de amêndoa e de açúcar em pó) costuma ser o pesadelo de quem faz macarons pelas primeiras vezes. Não foi, de todo, o meu! As dificuldades, no meu caso, surgiram na terceira semana,  momento de adicionar sabores à pasta, nomeadamente o cacau. Sim, os meus macarons de cacau só saíram bem à terceira vez! Isto, não contando uma primeira vez em que me enganei a pesar e nem me atrevi a avançar com o processo, mas do qual resultaram estas lindas tarteletes.  Fruta liofilizada, frutos secos moídos ou café solúvel são apenas alguns dos elementos que podem utilizar-se para aportar cor e sabor às coquilles.

Quarta e última semana... Nem queria acreditar que se aproxima o fim de algo que realmente me teve absorvido e orgulhoso, pois consegui fazer alguns macarons assim bonitinhos :D Continuemos... Na última semana, a tarefa resumiu-se a elaborar diversos cremes e recheios, seja à base de manteiga, de coalhadas ou ganaches, tirar os nossos macarons do congelador (aqueles aos quais conseguimos resistir sem trincar...) e rechear. 

 

Mas não vos entretenho mais, deixo-vos com algumas das fotos dos macarons feitos por mim ao longo do curso.

 

Ah! Cabeça a minha! Não se esqueçam de visitar a página que criei para estas delícias lá no facebook, chama-se MACABONS e promete dar que falar, mas um dia de cada vez! 

 

Para terminar, muito obrigado, Isabel e colegas pela partilha de conhecimentos e bons momentos! :)

Que comece o desfile!

choco caixa1.jpg

 

Baunilha, café e chocolate

choco caixa5.jpg

choco caixa7.jpg

maca limao1.jpg

 

Limão

 

 

 

mac r7.jpg

 

Morango

 

mac r16.jpg

 

Chocolate

 

mac r18.jpg

mac r26.jpg

maca4.jpg

maca7.jpg

macarons simples7.jpg

 

promo2.jpg

 

mac final1.jpg

mac final2.jpg

 

Limão, framboesa, café, mirtilo e chocolate

 

mac final6.jpg

mac final10.jpg

mac final11.jpg

mac final17.jpg

mac final19.jpg

 

 

 

Pão integral de farelo e mel

pão de farelo e mel4.jpg 

Semana pós-Páscoa, sabem como é... Por mais que tentemos resistir-lhes, aqueles docinhos típicos e o folar estão sempre a tentar seduzir-nos e lá acaba por "cair" mais uma ou duas fatias. Depois, a balança delata-nos e não pode ser! :)

Entra, assim, mais uma receita de pão para o arquivo do blogue, desta vez aromatizado com um pouco de mel da Serra da Estrela, gentilmente enviado pela Samelas. Desta vez, trata-se de um pão que, apesar de mais saudável, que o tradicional, mantém-se muito fofo, mesmo alguns dias depois de feito. (Faço o pão normalmente à segunda, coloco-o num saco com fecho hermético e vou consumindo ao longa da semana).

 

Ingredientes:

250 gramas de farinha de trigo integral

75 gramas de farelo de trigo

150 gramas de farinha tipo 65

1 colher de chá de sal

30 gramas de mel

35 gramas de fermento fresco de padeiro

350 ml de água morna

 

Preparação:

Num recipiente, misture o fermento, o mel e a água morna. Mexa até dissolver.

Misture as farinhas e o farelo noutro recipiente. Abra uma cavidade no centro e adicione o sal e a mistura de água, mel e fermento. Mexa com uma colher de pau, de dentro para fora, arrastando para o centro a restante farinha. Assim que ganhar uma consistência mais firme, transfira a massa para uma bancada limpa, polvilhada com um pouco de farinha e amasse com as mãos, ajudando-se de uma espátula.

Forme uma bola, coloque-a novamente no recipiente, previamente polvilhado com farinha e tape com uma manta. Deixe levedar até obter o dobro do volume inicial.

Volte a amassar e forme novamente uma bola. Se tiver um recipiente para levedar, polvilhe-o com farinha e coloque lá dentro a massa. Caso contrário, coloque-a diretamente no tabuleiro forrado com papel vegetal. 

Ligue o forno nos 180º e, passada meia hora, vire a bola de massa levedada para o tabuleiro, polvilhe com um pouco de farelo e cozinhe durante cerca de 40 minutos.

Retire no forno e deixe arrefecer em cima de uma grelha antes de cortar.

 

Preparação na Bimby:

Coloque a água, o mel e o fermento no copo. Aqueça 2 Min 37º na Vel 1.

Adicione o sal, as farinhas e o farelo. Amasse 2 Min e 30 Seg na função Espiga.

Tape o copo com uma manta e deixe levedar durante uma a duas horas, ou até dobrar o seu volume inicial.

Amasse 1 Min na função Espiga.

Forme uma bola com a massa e, se tiver um recipiente para levedar, polvilhe-o com farinha e coloque lá dentro a massa. Caso contrário, coloque-a diretamente no tabuleiro forrado com papel vegetal.

Ligue o forno nos 180º e, passada meia hora, vire a bola de massa levedada para o tabuleiro, polvilhe com um pouco de farelo e cozinhe durante cerca de 40 minutos.

Retire no forno e deixe arrefecer em cima de uma grelha antes de cortar.

pão de farelo e mel1.jpg

pão de farelo e mel2.jpg

pão de farelo e mel3.jpg

pão de farelo e mel5.jpg

pão de farelo e mel6.jpg

 

Nova coleção PARFOIS Desert

Pág. 2/2