Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ad

Telhas de limão e sementes de papoila

Se no outro dia criei alguns pratos para despedir o inverno, hoje percebi que me precipitei; O inverno parece longe de se retirar... E como o frio e a chuvas fazem com que pratos e sobremesas mais cálidos nos assediem, do leite creme sobraram 6 claras, com as quais fiz estas excelentes telhas crocantes.
 
Ingredientes:
6 claras de ovo
200 gramas de açúcar em pó
200 gramas de farinha de trigo
120 gramas de margarina derretida
1 limão (sumo)
1 colher de sopa de sementes de papoila
 
Preparação:
Bata as claras juntamente com o açúcar em pó até obter um merengue branco, liso brilhante.
Adicione a farinha peneirada e envolva com a ajuda de uma espátula.
Adicione a margarina derretida, seguida do sumo de limão e das sementes de papoila e envolva bem.
Leve ao frigorífico durante cerca de meia hora.
Unte um tabuleiro com manteiga e disponha nele colheradas do preparado.
Espalhe com as costas de uma colher ou com uma espátula e cozinhe em forno pré-aquecido a 200º durante 5 a 8 minutos, até que as extremidades comecem a ficar douradas.
Retire as bolachas do tabuleiro de imediato e dê-lhes a forma, colocando-as sobre o rolo da massa. 
Deixe arrefecer e guarde em frascos com fecho hermético.
 
Dicas: Troque o sumo de limão por sumo de laranja, canela ou essência de baunilha, ficarão igualmente deliciosas!
 

 

Creme de nabos com laranja e cogumelos

Se no fim de semana andei com as minhas "combinações improváveis", hoje acho que fui mesmo ao limite! Esta receita é para participar num passatempo mas, por enquanto, prefiro não divulgar :p 
 
Ingredientes:
700 gramas de nabos 
4 dentes de alho
50 gramas de margarina
600 ml de água
1/2 laranja
100 gramas de cogumelos (usei cantharellus)
Sal e pimenta q.b
Azeite q.b
 
Preparação:
Descasque e corte os nabos em pedaços; 
Lave e coloque numa panela;
Adicione a margarina e metade dos alhos cortados grosseiramente;
Leve ao lume e deixe refogar em fogo médio, mexendo, durante cerca de 5 minutos;
Cubra com a água, tempere com sal e pimenta e deixe cozinhar durante cerca de meia hora;
Retire do lume e triture bem com a varinha mágica até obter um creme;
Retifique os temperos;
 
Descasque a laranja com o auxílio de um descascador;
Corte as cascas (só a parte amarela) em tirinhas o mais finas que conseguir; reserve.
Limpe os cogumelos;
Coloque uma frigideira ao lume e deixe aquecer;
Adicione um fio de azeite, os alhos restantes laminados e os cogumelos e salteie durante cerca de 3 minutos;
Tempere com sal e regue com o sumo da laranja;
Deixe reduzir um pouco.
 
Sirva o creme guarnecido dos cogumelos e decore com as "zestes" da laranja.

 

Doce de chila

Para comer simples em bolachas ou torradas, mas também como recheio ou ingrediente de vários bolos e pastéis, o doce de chila/gila é uma das mais ricas bases clássicas  da Doçaria Portuguesa. 
 
Ingredientes:
500 gramas de chila cozida
500 gramas de açúcar
1/2 limão
1 pau de canela
 
Preparação:
Coloque a chila dentro de um saco de plástico e atire ao chão, com força, até se partir em pedaços. Diz-se que devemos evitar o contacto direto da polpa com metais, pelo que se desaconselha o uso de facas.
Com as mãos, separe os pedaços, retire as pevides e a "espinha", de cor amarelada que está entre a polpa. 
Lave os pedaços muito bem com água e coloque-os  numa panela. Cubra com água, adicione um punhado de sal e meio limão e leve a cozer durante cerca de hora e meia,  ou até observar que a casca se começa a soltar.
Retire do fogo e deixe arrefecer.
Separe a polpa da casca e coloque-a em cima de um pano, de preferência de linho ou estopa (como dizem os antigos). 
Embrulhe, fazendo uma trouxa e esprema bem com as mãos. Ate com um fio e pendure por cima da pia e deixe a escorrer, de preferência, de um dia para o outro.
Com a ajuda de um garfo, separe bem os fios da chila e pese.
Coloque o mesmo peso da chila em açúcar e água e faça uma calda, deixando ferver juntamente com a canela durante 10 minutos.
Adicione a chila desfiada e deixe cozinhar, mexendo, até fazer o ponto de estrada (passando a colher no fundo do tacho, o preparado separa-se abrindo uma espécie de "estrada").
 
Distribua o doce por frascos esterilizados, feche e  deixe repousar, até arrefecer, com a tampa voltada para baixo.
 

Dicas: Seque as sementes no forno e guarde em frascos fechados. São ótimas consumidas como snack, mas também em saladas.

Pudim de café e queijo creme

Queijo e café pareceu-me uma daquelas "Combinações improváveis", como o fantástico programa de um dos meus chef's preferidos, o José Avilez.
Pois, tenho a dizer-vos que o resultado é muito satisfatório, para não dizer excelente, uma vez que eu sou suspeito :)
A ideia surgiu depois de encontrar uma receita muito simples de tarte de queijo, que me fez lembrar uma que faz uma amiga e que, pelos ingredientes, deve ser similar. Como cá em casa há viciados (no bom sentido) em café, decidi fazer algumas pequenas alterações. É de preparação muito rápida e simples, excelente para terminar uma refeição de domingo...
 
 
Ingredientes:
750 ml de natas (usei vegetais)
1 embalagem de Philadelphia de 200 gramas
150 gramas de açúcar
2 pacotinhos de Cuajada*
2 colheres de sopa de café instantâneo ou 1 café expresso
Caramelo q.b para barrar a forma
 
Preparação na Bimby:
Barre uma forma de pudim com caramelo e reserve.
Coloque no copo todos os ingredientes;
Coloque a tampa e o copo de medida e programe 15 minutos, Varoma na Velocidade 1;
Verta o preparado na forma e leve ao frigorífico durante 3 a 4 horas, para coagular.
Simples, não é? ;)
 
Método tradicional:
Barre uma forma de pudim com caramelo e reserve.
Das antas, retire 100 ml e adicione-lhes o conteúdo dos dois pacotinhos deCuajada; reserve.
Num tacho, coloque as restantes natas, o açúcar, o café e o Philadelphia. Leve a lume médio até ferver.
Retire do lume, adicione as natas reservadas e leve novamente ao lume, sem parar de mexer até ferver novamente.
Verta o preparado na forma e leve ao frigorífico durante 3 a 4 horas, para coagular.
Simples, não é? ;)
 
*Cuajada, muito tradicional em Espanha é um preparado lácteo que ajuda a coagular leite ou natas sem a necessidade de calor. Pelo contrário, solidifica em reação com temperaturas baixas. A mais popular é a da marca Royal e pode encontrar-se nos grandes supermercados.

Dica: Decore com chantilly, fios de caramelo e alguns grãos de café.

 

Nova coleção PARFOIS Desert

Pág. 1/4