Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ad

Pastéis de feijão

Como sabem, a minha dedicação aos fogões vem de quando era bem pequeno.  Lembro-me de ter feito uns pastéis de feijão cuja receita vinha numa daquelas revistas mensais que acabou por perder-se. Tinha, se mal não me recordo, 15 anos e estava no primeiro ano do curso de cozinha, mas era tudo muito precoce. Sei que a coisa não correu muito bem da primeira vez, pois não sabia era preciso demolhar os feijões, pelo que acabaram por ficar duros e fiz uns pastéis com "pepitas" crocantes de feijão no interior hehe.
Hoje lembrei-me desses pastéis e tentei recriar a receita, tendo o cuidado de utilizar feijão em conserva, assim pelo menos tenho a certeza de que está bem cozido :D
Ingredientes para 14 a 16 pastéis:
250 gramas de açúcar
125 ml de água
170 gramas de feijão cozido
9 gemas
1 colher de café de canela moída
1 colher de sopa de farinha
Açúcar em pó q.b para polvilhar
Para a massa:
150 gramas de farinha
60 gramas de manteiga fria
sal q.b
2 colheres de sopa de água gelada
Num tigela ou no robot de cozinha, colocamos todos os ingredientes da massa à exceção da água; amassamos ou trituramos até obtermos uma mistura granulada. Adicinamos a água bem fria e amassamos bem. Dependendo da farinha, poderá ser necessário adicionar mais água. Formamos uma bola, tapamos com um pano e reservamos.
Reduzimos a puré o feijão cozido e reservamos também.
Num tacho, colocamos o açúcar e a água; levamos ao lume e, assim que começar a ferver, contamos 4 minutos; retiramos do lume e deixamos arrefecer.
Adicionamos a calda de açúcar às gemas, em fio, mexendo bem; adicionamos a canela e o puré de feijão e misturamos bem.
Numa superfície polvilhada com farinha, estendemos a massa bem fina, dispomos por cima de pequenas formas, fazendo pressão com o rolo para cortar. Ajustamos com os dedos, retirando alguma bolsa de ar que se possa ter formado. Enchemos com o creme de feijão até 3/4 da altura, polvilhamos com açúcar em pó e cozinhamos em forno pré-aquecido a 170º durante cerca de 20 minutos. Polvilhamos novamente com açúcar em pó e deixamos cozinhar durante mais 15 minutos aproximadamente.
Devem servir-se mornos ou completamente frios e podem também polvilhar com um pouco de canela.

Bolo da Barca

Eu sei, eu sei que vos abandonei por uns dias, mas foi por um bom motivo, estive com os meus alunos das turmas do 10º ano  de Cozinha/Pastelaria da Epralima na Feira das Tradições de Ponte da Barca, que decorreu no último fim de semana num ambiente extraordinário, com vistas para o rio. Na nossa barraquinha havia,  entre outras iguarias, moelas, pataniscas, arroz de feijão, panados e presunto. No sábado, decidi propor-lhes um bolinho seco que vai bem a qualquer hora. Pusemos mãos à obra e o resultado foi um bolo recheado com marmelada e coberto de coco ralado, daqueles que fazem lembrar os doces típicos da ainda recente Páscoa. A pedido da vereadora Sílvia Torres, aqui fica a receita.
Ingredientes:
7 ovos
250 gramas de açúcar
175 gramas de farinha com fermento
200 gramas de marmelada
100 gramas de coco ralado
2 colheres de sopa de água
Manteiga para untar
Untamos um tabuleiro com manteiga, forramos com papel vegetal e voltamos a untar; reservamos.
Colocamos a marmelada juntamente com a água num recipiente e aquecemos até amolecer, no microondas ou em banho-maria. Mexemos bem e reservamos.
Batemos o ovos inteiros com o açúcar até obtermos um creme esbranquiçado e que este tenha triplicado o volume inicial. Cuidadosamente, envolvemos a farinha peneirada sem deixar grumos.
Vertemos o preparado no tabuleiro forrado, alisando com a ajuda de uma espátula. Cozinhamos em forno pré-aquecido a 175º durante cerca de 30 minutos ou até que, ao espetar com um palito, o mesmo saia seco.
Polvilhamos uma folha de papel vegetal com um pouco de açúcar e viramos o bolo em cima desta; deixamos arrefecer. 
quando frio, barramos o bolo com a marmelada amolecida, cortamos em duas partes na longitudinal, sobrepomos uma em cima da outra e polvilhamos generosamente com o coco ralado.


Nova coleção PARFOIS Desert

Pág. 3/3