Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ad

Empadão de Cantharellus com chouriça de repolho

Há já algum tempo que queria experimentar alguns dos novos produtos da Salsicharia Deu-la-Deu, motivo pelo qual hoje vos vou apresentar a Chouriça de repolho, feita à base de carne e gordura de porco e repolho triturados, com um leve toque de fumo. Confesso que o resultado conseguiu superar as minhas expectativas, nem demasiado salgada, nem demasiada gordura, e a suavidade e contraste do repolho,  que é a essência deste fumado.
Quando idealizei este prato, vinham com ele imagens de uma mesa rústica, flores, campo e não podia encontrar isso senão na  Flores da Aldeia, naquele pequeno grande mundo de flores, cores, magia e harmonia. Aproveito para vos convidar a visitar a loja, situada à face da estrada,  na Valinha-Monção. Não hesitem em contactar a Sandra ou a Mena, irmãs e proprietárias que, certamente, aportarão um toque de cor e romanticismo aos vossos eventos.
Ingredientes para 4 pessoas:
1 kg de batata para cozer
200 grs de cantharellus
2 chouriças de repolho
1 colher de manteiga
2 colheres de azeite
200 ml de natas
1 gema de ovo
2 dentes de alho picados
Sal e pimenta q.b.
Começamos por descascar e cortar em pedaços as batatas, que pomos a cozer em água e sal.
Entretanto, com a ajuda de uma faca ou colher, retiramos a pele das chouriças, uma vez que queremos apenas o seu recheio.
Aquecemos uma frigideira, colocamos o azeite e o alho picado, deixamos corar ligeiramente e adicionamos os cantharellus e salteamos. Temperamos com um pouco de sal, tendo o cuidado de não exagerar, pois os fumados costumam ser generos em sal, e um pouco de pimenta preta; reservamos.
Na mesma frigideira, quente,  dispomos o recheio da chouriça e deixamos cozinhar por 5 minutos, mexendo de vez em quando para não agarrar. Adicionamos os cantharellus e retificamos os temperos.
Quando as batatas estiverem cozidas, escorremos e passamos pelo passe-vite ou esmagamos com um garfo; adicionamos as natas aos poucos e batemos com umas varas, até obtermos um creme homogéneo; retificamos de sal e pimenta.
Untamos o tabuleiro ou pyrex com manteiga, dispomos uma camada de puré, sobrepomos uma camada de recheio e terminamos com uma última camada de puré, que alisamos com a espátula. Pintamos com a gema de ovo e, com um palito ou a ponta de uma faca, fazemos alguns desenhos na superfície.
Resta-nos apenas gratinar em forno pré-aquecido a 180º durante cerca de 20 minutos, ou até que o empadão ganhe uma cor dourada.

Bolo de papoila e frutos secos

O desafio desta semana lançado pela Rocío de La Cocina de mi Abuelo consistia num bolo húngaro, que tem como ingrediente protagonista a papoula, ou mais especificamente as sementes desta flor.Uma vez que nestes meios tão pequenos não é de todo fácil encontrar alguns ingredientes, e não tinha tempo para fazer o "tour" dos supermercados à procura de cerejas e alperces em calda, bem como de leitelho, acabei por substituir alguns dos ingredientes da receita base que me foi cedida. O resultado foi um bolo esponjoso, com a parte superior crocante e uma textura divertida, uma vez que de vez em quando sentimos o estalar das minúsculas sementes entre os dentes.Uma boa opção como bolo de chá. Espero que o desafio tenha sido superado ;) 
Ingredientes:
150 grs de manteiga amolecida 
4 ovos
100 grs de açúcar
1 chávena de leite gordo
1 colher de sopa de vinagre
100 grs de sementes de papoila
180 grs de farinha
1 colher de sopa de fermento em pó
50 grs de maizena
75 grs de alperce seco
100 grs de coco laminado
50 grs de avelãs partidas em metades
1 colher de café de essência de baunilha
Em primeiro lugar,  como não encontrei o leitelho, decidi recorrer ao processo de elboração de queijos, pelo que fervemos o leite, desligamos e adicionamos o vinagre; deixamos repousar 5 minutos e, então, coamos com um passador ou com um pano. Conste que além de obter o soro do leite para o bolo, fiquei ainda com um mini-queijo que está a curar.
Num recipiente, batemos a manteiga amolecida com o açúcar e, um a um, vamos adicionando os ovos e batendo. Adicionamos o soro do leite e a baunilha e misturamos.
Noutro recipiente  misturamos todos os ingredientes secos: a farinha, o fermento, a maizena e a papoila. Adicionamos ao preparado anterior.
Untamos uma forma ou tabuleiro com manteiga, forramos com papel vegetal e voltamos a untar; Vertemos a massa na forma e decoramos com os alperces, as lâminas de côco e as avelãs.
Levamos ao forno pré-aquecido a 170º durante cerca de 30 minutos. Depois de frio, polvilhamos generosamente com açúcar em pó.

Falso cheesecake de chocolate branco com maracujá em frasco

Parece que está na moda usar os frascos das compotas ou mel para servir cheesecakes e outras sobremesas cremosas.  Esta nova tendência atacou-me e estava ansioso por experimentar... Ainda havia chocolate branco cá por casa e uma embalagem de bolacha Maria daquelas que abrimos uma e outra e outra e, quando damos por ela, temos 3 embalagens abertas prestes a ficarem moles. Fui às compras e não é que estavam lá uns maracujás a piscar-me o olho?? Pois é, não resisti e trouxe alguns para casa. Pus-lhe este nome porque não tem queijo nos ingredientes, mas aparentemente assemelham-se.
Ingredientes para 7 frascos:
125 grs de bolacha maria
50 grs de manteiga
4 folhas de gelatina
4 maracujás
1 colher de sopa de açúcar
150 grs de chocolate branco
200 ml de natas
1 chávena de leite
1 gema
Em primeiro lugar, trituramos as bolachas na picadora ou, como método alternativo, colocamo-las dentro de um saco, envolvemos num pano e damos algumas pancadas com o rolo da massa.
Num tacho ou frigideira colocamos a manteiga e deixamos derreter; adicionamos as bolachas trituradas e mexemos até que a manteiga seja completamente absorvida, mas com cuidado para não queimar; reservamos.
Num outro tacho, colocamos a gema de ovo, as natas e o leite; mexemos bem com as varas e levamos ao lume até ferver, momento em que adicionamos o chocolate, sem parar de mexer. Numa tigela com água fria, colocamos as folhas de gelatina, durante uns 5 minutos. Escorremos bem com as mãos e juntamos ao preparado anterior; misturamos bem e deixamos arrefecer, mexendo de vez em quando para quebrar a crosta que se forma à superfície.
Abrimos os maracujás para um recipiente de vidro ou loiça adequada para microondas, adicionamos o açúcar e aquecemos durante um minuto.
Quando o creme estiver morno/frio, pegamos nos frascos e pomos em cada um uma colher de sopa bem cheia de bolacha triturada, enchemos até `metade com o creme e, por cima, colocamos a nossa geleia improvisada de maracujá. Eu usei uns frascos que são comercializados para conservar o mel, mas podem perfeitamente usar frascos antigos de compotas ou conservas, desde que bem lavados.






Pãezinhos com alheira, rúcula, San Simón e Cantarellus caramelizados

É impossível ir a Mirandela e regressar sem um bom aprovisionamento de alheiras, e menos quando sabemos que são de fabrico caseiro, coisa que não é difícil de perceber, pois o cheiro delata-as! Andava com vontade de hamburguer, mas de uma coisa diferente, pão caseiro e uma composição alternativa. Decidi fazer uma espécie de hambúrguer, que não passa de um pouco de alheira sem pele, achatada, num pão semi-doce feito em casa. Alterei a receita do brioche, mas sem ovo e decidi substituír a manteiga por azeite e por cima umas sementes de girassol. O sabor e a textura são inexplicáveis, acreditem!.
Ingredientes para 7 a 8 pães:
Massa:
250 grs de farinha
1 chávena de leite morno
25 grs de fermento de padeiro
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de café de sal
1 colher de sopa de sementes de girassol
2 colheres de sopa bem cheias de azeite
Na chávena de leite morno, dissolvemos o fermento e o sal. Num recipiente, ou em cima da bancada enfarinhada, colocamos a farinha, fazemos uma cavidade e no centro todos os ingredientes, que vamos incorporando na farinha, amassando. Quando tivermos uma bola que se despega das mãos, polvilhamos com farinha, tapamos com um pano seco e deixamos a levedar num local de preferência morno, até atingir o dobro do tamanho, altura em que dividimos em porções e formamos pequenas bolas. Dispomos as bolinhas de massa num tabuleiro untado com azeite, espalmamos com a mão, colocamos algumas sementes no centro, voltamos a fazer alguma pressão com a mão e pincelamos com azeite. Deixamos novamente a levedar durante cerca de meia hora, e cozemos em forno pré-aquecido a 200º durante cerca de 8 minutos, até que fiquem bem dourados. Retiramos do forno e deixamos arrefecer em cima de uma grelha.
Recheio:
2 alheiras
Rúcula
1 colher de maionese
Queijo S. Simão
100 grs de Cantarellus
25 grs de manteiga
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de azeite
1 chávena de farinha de milho
Num tachinho colocamos a manteiga e, quando estiver derretida adicionamos os Cantarellus e o açúcar; mexemos e deixamos cozinhar durante uns 8 minutos, mexendo de vez em quando.
Retiramos a pele às alheiras, dividimos cada uma em quatro partes, espalmamos, passamos por farinha de milho e colocamos num tabuleiro untado com azeite e levamos ao forno a 180º durante uns 8 minutos.
Abrimos os pãezinhos ao meio, barramos com maionese, colocamos a alheira, o queijo, os Cantarellus e, finalmente, a rúcula.

Nova coleção PARFOIS Desert